Você está endividado? no meu site: robertorequiao.com.br/voce-es……assista-ao-video/

Cerca 6 horas atrás from Roberto Requião's Twitter via Twitter Web App



Página IncialNotíciasRequião quer suspensão de norma da ANTT sobre transporte coletivo

Requião quer suspensão de norma da ANTT sobre transporte coletivo

O senador Roberto Requião deu parecer favorável  a projeto de decreto legislativo, do senador Ronaldo Caiado,  para suspender resolução da Agência Nacional de Transporte Terrestre que fixou novas exigências para as empresas que operam o transporte rodoviário de passageiros interestadual e internacional.

Segundo Requião, as imposições estipuladas pela ANTT poderão inviabilizar a atuação de parte significativa de empresas da área. 

Veja o parecer:

Parecer Nº       , DE 2017

Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Decreto Legislativo do Senado nº 381, de 2015, do Senador Ronaldo Caiado, que susta a Resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres nº 4.777, de 06 de julho de 2015, que dispõe sobre a regulamentação da prestação do serviço de transporte rodoviário coletivo interestadual e internacional de passageiros em regime de fretamento.

Relator: Senador Roberto Requião

I – RELATÓRIO

Chega para análise desta Comissão o Projeto de Decreto Legislativo (PDS) nº 381, de 2015, de autoria do Senador Ronaldo Caiado, que pretende sustar a vigência da Resolução nº 4.777, de 2015, da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, que dispõe sobre a regulamentação da prestação do serviço de transporte rodoviário coletivo interestadual e internacional de passageiros em regime de fretamento.

O projeto contém dois artigos, sendo que o primeiro susta a mencionada resolução da ANTT, e o segundo contém a cláusula de vigência, que seria imediata.

A resolução que se pretende sustar, de acordo com a justificação apresentada, tem os seguintes pontos críticos:

  1. Taxa anual de fiscalização por ônibus no valor de R$ 1.800,00;
  2. Elevado valor do seguro de passageiros;
  3. Idade máxima dos ônibus (15 ANOS); e
  4. Capital social mínimo no valor de R$ 120.000, considerado elevado.

De acordo com o autor da proposição, com esse regramento, a ANTT extrapolou o limite da razoabilidade e impôs mais ônus ao transporte interestadual de passageiros, cujos usuários não têm suas necessidades de transporte adequadamente atendidas, a exemplo do que ocorre no entorno do Distrito Federal, cuja provisão, em termos de qualidade e quantidade, é insuficiente.

II – ANÁLISE

À CCJ compete analisar não só os aspectos formais, como também o mérito da proposição.

Com relação à constitucionalidade, o instrumento utilizado (o decreto legislativo) para sustar a matéria de que trata o projeto insere-se nas prerrogativas exclusivas do Congresso Nacional, conforme o inciso V do art. 49 da Constituição Federal, sendo, portanto, adequado aos fins propostos.

Da mesma forma, o projeto apresenta técnica legislativa adequada, em conformidade com a Lei complementar nº 95, de 1998, que dispõe sobre a elaboração, a redação, a alteração e a consolidação das leis.

Quanto ao mérito do projeto, compartilhamos as preocupações do Senador Ronaldo Caiado, pois, conforme bem pontuado na sua justificação, as imposições estipuladas poderão inviabilizar a atuação de uma parcela significativa de prestadores desse tipo de serviço, dadas as barreiras à entrada no mercado impostas por esse normativo. E, em consequência, os usuários arcarão com maiores preços resultantes da menor oferta de prestadores.

III – VOTO

Diante do exposto, voto pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa adequada do Projeto de Decreto Legislativo nº 381, de 2015, e no mérito, por sua APROVAÇÃO.

 

Sala da Comissão,

, Presidente

, Relator